SUPER TEMPESTADE SOLAR
PODE MATAR 850 MILHÕES DE PESSOAS OU MAIS NO MUNDO TODO (PARTE 2 )

( FATO ESSE SE ACONTECER ENTRE FINAL DE 2012 E /OU 2013 -COM A EJEÇÃO DE MASSA CORONAL )
VAMOS REZAR MUITO E TORCER QUE NÃO ACONTEÇA...
( IMAGENS RETIRADAS DO SITE DE BUSCA PÚBLICA DO GOOGLE )


VEJA ONDE CHEGAMOS NESSES MÊSES ATRÁS -tempestade geomagnética atingiu nível 6

VAMOS LER ,ENTENDER MAIS E PROTEGER NOSSAS FAMÍLIAS LENDO O E-BOOK - 2012 INÍCIO DA NOVA ERA ( RECEBA O E-BOOK EM SEU COMPUTADOR SEM PRECISAR SAIR DE CASA -ASSISTA A APRESENTAÇÃO E FAÇA JÁ O SEU PEDIDO )

aqui: foto do livro 2012 e o link:
WWW.2012INICIODANOVAERA.COM

 

.......................................................................................................................................

Supertempestade solar pode matar 850 milhões
de pessoas ou mais ..., no mundo todo, diz, Jucelino Luz

Segundo visões premonitórias de Jucelino Luz , diz que erupção solar poderia destruir parte essencial da rede elétrica do mundo, e trazer caos à sua infraestrutura



Imagem da Nasa mostra erupção solar em 12/07


Uma gigantesca liberação de partículas geomagnéticas vindas do Sol poderia destruir a maior parte de transformadores de alta voltagem que são a espinha dorsal da rede elétrica mundial , segundo Jucelino Luz .O Sol está entrando em um período de atividade intensa, conhecido como "máximo solar", que deve atingir seu auge em 2013. Por isso, há um ímpeto por parte de um grupo de agências federais para buscar maneiras de preparar o mundo para uma grande tempestade solar nesse ano e até meiados de 2013 .

Especialistas dos EUA estimam em até 7 por cento o risco de uma grande tempestade em 2013. Pode parecer pouco, mas os efeitos seriam tão amplos - semelhantes à colisão com um grande meteorito - que o fato tem atraído a atenção das autoridades.
Apagões isolados podem causar caos, como ocorreu em julho, na Índia, quando mais de 600 milhões de pessoas ficaram sem energia durante várias horas em dois dias consecutivos. Já um blecaute de longa duração, como o que poderia acontecer no caso de uma enorme tempestade solar, teria efeitos mais profundos e custosos.
Há discordâncias sobre o custo de uma catástrofe desse nível,, mas especialistas mundiais e da iniciativa privada admitem que se trata de um problema complexo, que exige uma solução coordenada.
Um relatório Mundial estimou que cerca milhares de transformadores de alta voltagem no território dos países poderiam sofrer falhas ou danos permanentes, que exigiriam a substituição do equipamento.
A troca poderia levar mais de um ano, e o custo dos danos no primeiro ano após a tempestade poderia chegar a trilhões de dólares , disse Jucelino Luz . As áreas mais vulneráveis ficam no terço nos países pobres ,, que poderiam levar muito mais tempo para uma recuperação .
A rede elétrica mundial foi construída ao longo de décadas para transportar a eletricidade ao preço mais baixo entre os locais de geração e consumo. Uma grande tempestade solar tem a capacidade de derrubar a rede, segundo Jucelino Luz
De acordo com estimativas de Jucelino Luz , mais de 1 bilhão de pessoas no mundo poderiam ser afetadas. Jucelino disse que no pior cenário a cifra de mortos poderia chegar a 800 milhões ou até mais do que essa estatística ,o pior de tudo ,o caos instalado no mundo que geraria violência ,etc.
Muitos países também sentiriam o impacto se uma supertempestade solar atingisse seu sistema de energia, mas , é tão amplo e interconectado que qualquer grande impacto teria resultados catastróficos no Mundo. E nos estados Unidos , Brasil ,China, Japão , Coréia ,Rússia, India, ,o impacto seria maior ainda ....Devemos estar em alerta e nos prepararmos para os próximos meses e anos para o pior ou não! É apenas um alerta para tentar minimizar as dores das pessoas se por ventura o fato se concretizar,diz Jucelino Luz
Mário Ronco Filho – Jornalista .
 

 

 

Tempestade geomagnética atinge nível 6 e já dura mais de 40 horas- Esse é o perigo que poderemos enfrentar nos próximos meses ....

A intensa tempestade solar que atingiu a Terra na tarde de sábado continua em atividade e produziu auroras nas regiões de latitudes elevadas ao norte e sul do equador. No domingo o índice KP chegou a atingir o nível 6 por três vezes e causou blecautes de radiopropagação em bandas de baixa frequência.

A ejeção de massa coronal (CME) chegou a Terra por volta das 17 horas de sábado (14/07) e foi causada por uma forte explosão solar ocorrida na tarde do dia 12 de julho na região da mancha solar ativa AR 1520 O evento chegou a atingir a classe X1.4 no espectro de raios-x e teve seu efeito potencializado pelo fato de a mancha estar voltada em direção à Terra, bombardeando diretamente o planeta.


Tempestade Geomagnética

Os modelos de deslocamento indicavam que o choque das partículas com a alta atmosfera ocorreria por volta das 07h00 BRT de sábado, mas os magnetômetros localizados no círculo polar ártico só registraram desvios significativos do campo magnético terrestre a partir das 17h00. Desde então, índice KP que mede a instabilidade na ionosfera passou a apresentar níveis superiores a 4, que se intensificaram na tarde de domingo, com valores atingindo o nível 6 três vezes.

Na manhã de segunda-feira o índice KP ainda era elevado e nas primeiras horas do dia ainda sustentavam valores entre KP 5 e 6.

Consequências

O choque das partículas carregadas teve efeito imediato em latitudes elevadas ao norte e sul do equador e produziu auroras boreais na Europa, faixa centro-norte dos EUA e Canadá. Auroras austrais também foram observadas na Nova Zelândia, extremo sul da Austrália, Tasmânia e também no Polo sul. Não há informações de observação do fenômeno no sul da América do Sul, mas não descartamos essa possibilidade.

Além das auroras austrais e boreais, a instabilidade ionosférica causou blecautes de radiopropagação nas bandas de radiofrequência abaixo de 30 MHz dificultando ou impedindo, com algumas exceções, as comunicações transoceânicas neste espectro. Tentativas de recepção de estações de rádio localizadas na Europa e Japão feitas pelo Apolo11 resultaram em fracasso, assim como a captação de beacons de estação de radioamadores localizados na África do Sul, que normalmente são captadas com facilidade.
Não há registro oficial de problemas causados por surtos eletromagnéticos em linhas de transmissão localizadas acima das latitudes de 40 graus norte ou sul, nem de panes causadas em sistemas satelitais ou operações de localização, embora possam ter ocorrido sem terem sido relatadas.

Efeitos de tempestades KP=6

Sistemas de potência: Redes elétricas em latitudes elevadas podem sofrer alertas de variação de tensão. Se prolongadas, as tempestades podem danificar transformadores.
Espaço: Podem ser necessárias reorientações na órbita de satélites. O aumento do arrasto da atmosfera pode interferir no cálculo orbital.
Outros: Pode fechar a propagação em ondas curtas (HF) nas latitudes elevadas. Ocorrência de auroras boreais em latitudes baixas, ao redor de 55º.

.......................................................................................................................................

Fonte:
Fotos: No topo, aurora boreal registrada em 14 de julho de 2012 na região do lago Elora, no estado de Minnesota, EUA. Na sequência, gráfico mostra a evolução do Índice KP durante o bombardeio das partículas. Acima, desvios do campo magnético da Terra registrados por um dos magnetômetros da Universidade do Alasca. Créditos: NOAA/SWPC, Universidade do Alasca/Haarp project,appolo 11-www.jucelinodaluz.com.br

 

 

Indique este Link:

 

 

PRINCIPAL | VOLTAR | SUBIR PÁGINA